(31) 2535-1722 (31) 99927-0010
Outras Cirurgias > BLEFAROPLASTIA

BLEFAROPLASTIA

Também conhecida como blefaroplastia, a cirurgia da pálpebra melhora a aparência das pálpebras superiores, das pálpebras inferiores, ou de ambas. A cirurgia proporciona aparência rejuvenescida na área ao redor dos olhos. Dependendo de cada caso, pode remover o excesso de depósito de gordura que aparece como inchaço nas pálpebras superiores, a pele frouxa, flacidez que cria dobras ou incomoda o contorno natural da pálpebra superior, às vezes prejudicando a visão.
 
Já a blefaroplastia da pálpebra inferior remove o excesso de pele e bolsas de gordura como também a queda das pálpebras inferiores por flacidez da musculatura em volta dos olhos. Muitas vezes, o paciente é encaminhado ao cirurgião plástico após uma avaliação oftalmológica onde é diagnosticada a diminuição do campo visual pela flacidez de pele da pálpebra superior e/ou queda do supercílio.
 
POR QUE OPERAR?
Além de reestabelecer a harmonia da área dos olhos, operar as pálpebras tem como indicação a melhora do campo visual . Como dito anteriormente, a indicação poderá partir de uma avaliação oftalmológica. Outra causa da diminuição deste campo é a queda do supercílio dando a característica de um olhar triste. Isto ocorre pela flacidez do músculo frontal e da musculatura periorbitária. A correção consiste em suspender a cauda do supercílio através de uma incisão acima do supercílio ou na região temporal do couro cabeludo por onde pode ser realizada a fixação do supercílio superiormente. Esta suspensão poderá ser realizada associada ou não à blefaroplastia superior, dependerá da avaliação pré-operatória.
 
O excesso de gordura nas pálpebras inferiores também é outra indicação importante para cirurgia da pálpebra. Os inchaços nesta região ficam mais acentuados pela manhã ou por retenção hídrica causando grande desconforto ao paciente pela aparência cansada.
 
CICATRIZES
A cicatriz da pálpebra superior é colocada no sulco palpebral superior de tal forma que ao abrir a pálpebra, a mesma se esconde nesta dobra de pele. Pode acontecer, nos casos de grande excesso de pele da pálpebra superior, um prolongamento desta cicatriz acompanhando as rugas peripalpebrais ( pés-de-galinha). Já a cicatriz da pálpebra inferior se situa próxima aos cílios( subciliar) quase imperceptível com o passar dos anos. Da mesma forma como acontece na pálpebra superior, se há grande excesso de pele, a cicatriz pode ser prolongada .
A qualidade das cicatrizes dependem muito da disciplina do paciente em seguir as orientações de massagem diária com hidratante para área dos olhos e a não exposição ao sol por 30 dias.
 
AVALIAÇÃO PRÉ-OPERATÓRIA
Todos os dados relativos à saúde serão questionados, incluindo doenças prévias ou em tratamento, uso de medicamentos, tabagismo, alergias medicamentosas, alimentares ou diversas, cirurgias prévias. Após conversar com o médico e esclarecer todas as o dúvidas, ele indicará alguns exames de rotina que recomendamos sejam feitos cerca de 10 dias antes da cirurgia. Também uma avaliação clínico-cardiológica (risco cirúrgico) será recomendada. Lembre das recomendações gerais para as cirurgias, como não usar, por 2 semanas antes, medicamentos a base de AAS, anticoagulantes, corticoides de uso prolongado ou medicamentos para emagrecer. Abstinência do fumo por 30 dias antes da operação.
 
A CIRURGIA
A blefaroplastia é um procedimento a ser realizado em ambiente hospitalaradequado e preparado para qualquer problema relacionado à cirurgia: desde a anestesia até a completa recuperação do paciente. Normalmente , a anestesia é local com uma sedação leve por se tratar de um procedimento de curta duração e com pequeno volume anestésico a ser
utilizado.
 
Após a realização das correções necessárias tanto da pálpebra superior quanto da pálpebra inferior, serão colocadas compressas ou bolsas geladas para a redução do edema e equimoses( pele arroxeada) na área dos olhos. Esta deverá ser mantida durante a primeira semana, de 3 a 4 vezes ao dia por alguns minutos. Sugerimos que o paciente leve óculos escuros para seu retorno ao domicílio e no seu primeiro retorno ao consultório.
 
ORIENTAÇÕES PÓS–OPERATÓRIAS
A paciente receberá alta hospitalar com todas as recomendações necessárias a uma boa recuperação:
- Repouso de atividades físicas e limitação de movimentos bruscos e amplos;
- Deitar com o tronco elevado por almofadas e travesseiros. Não deitar de lado ou de bruços até que seja autorizado peio seu cirurgião;
- Manter as compressas geladas nas áreas dos olhos como recomendado acima;
- Será prescrito uso de colírio lubrificante e pomada oftálmica para diminuir o desconforto que, muitas vezes, os pontos podem causar durante a primeira semana;
- Uso de óculos escuros quando necessário for sair do domicílio;
- Será permitido banho de corpo inteiro inclusive da face com sabonete antisséptico.
 
Os pontos são retirados de 5 a 7 dias no consultório médico e tão logo a ferida operatória esteja bem fechada , massagens serão orientadas com creme para área dos olhos.
 
INTERCORRÊNCIAS
As intercorrências são situações que surgem no período pós-operatório e não interferem no resultado. São exemplos: equimoses (manchas arroxeadas na pele), edema (inchaço), pequenos hematomas que podem drenar espontaneamente ou necessitar drenagem cirúrgica, deiscência de pontos (abertura do corte), etc.
 
Outras situações indesejáveis e mais complexas, que felizmente são raras:
infecção, grande deiscência de pontos, necrose parcial ou total da pele das pálpebras, grandes hematomas que precisam ser drenados e as intercorrências pertinentes a qualquer procedimento cirúrgico. Nestas eventualidades é fundamental manter a calma e conversar profundamente com seu médico que cuidará atentamente do seu caso.
O paciente não deve transmitir a existência destas intercorrências a seus amigos e familiares. Eles poderão deixá-lo (a) inseguro (a), nada podendo fazer efetivamente para ajudar. Isto gera angústia dúvidas e insegurança. Continuar confiando no seu médico ainda é o melhor caminho.
 
EVOLUÇÃO
A qualidade dos resultados sofrem alterações contínuas ao longo dos anos. Alguns fatores como idade, qualidade e textura da pele, influências hormonais, exposições prolongadas ao sol, estilo de vida, etc, interferem de forma incisiva na face e nas pálpebras, independente de ter ou não sido operada. Portanto, cuidar da pele facial e ter um dermatologista de sua confiança para receber as orientações ao longo da vida é fundamental para a manutenção de qualquer cirurgia nessa área. Restringir o uso de bebidas alcoólicas, não fumar e ter hábitos de vida saudável também são práticas importantes para evitar um envelhecimento precoce, consequentemente, estará realizando uma manutenção da sua cirurgia.

Ainda tem dúvidas sobre o procedimento?